O que NÃO dizer para alguém em luto?

Como conselheiro, as duas perguntas que eu mais recebo são:

  1. “O que eu devo DIZER para tal pessoa?”
  2. “O que eu devo FAZER para tal pessoa?”

Enquanto Nina ainda estava no útero, com o intuito de nos providenciarem consolo, recebemos muitos comentários e palavras desconcertantes. “Poderia ser pior, né?” “Você me parece bem.” “Deus está no controle de tudo, não tema.”

Dizer a verdade é essencial [clique aqui para um post sobre isso], mas a verdade sem amor não é completamente amor. Dizer a verdade não é suficiente para consolar alguém que está no processo de luto (um conjunto complexo de emoções). Aquele que deseja consolar deve se cuidar para apresentar o amor de acordo com a cultura e personalidade do indivíduo a ser consolado. Por exemplo, abraçar um brasileiro cuja mãe faleceu expressa algo diferente do que abraçar alguém da cultura oriental, onde abraços são mais raros e a noção de espaço físico pessoal é distinto. O significado das flores, a cor da roupa e a forma como se comportar num funeral são detalhes que podem ter diferentes significados, até mesmo dentro de uma mesma nação. O sotaque da população nortista e sulista não é a única diferença entre eles. Conhecer a pessoa a quem pretendemos ajudar é um desafio de amor e um tesouro de informação.

Com o intuito de ajudar aqueles que querem consolar alguém, eu gostaria de compartilhar alguns passos práticos sobre o que NÃO dizer para alguém que sofre com a morte de um(a) querido(a).

  1. NÃO minimize a dor. “Isso vai passar.” “Não fique assim, você é forte.” Não tente esquivar a pessoa do seu sofrimento. Se houver necessidade de dizer algo, ao invés de minimizar a dor, afirme-a: “O momento é difícil.” “Isto dói muito.”
  2. NÃO faça comparações. “Eu sei o que é passar por isso.” “Minha mãe morreu há dois anos e eu sei o que vocês está sentindo.” É fato que Deus nos consola para que sejamos Seu veículo de consolo (2Co 1). Se você tem convicção que sua história pode ajudar, discirna o momento e a forma correta para abordar a pessoa e afirmar seu desejo de conversar. Se você não for uma pessoa do círculo próximo de amigos ou parentes, ter um desses como mediador do convite é sábio.
  3. NÃO faça ofertas abertas. “Estou à disposição para caso queira conversar.” “Diga-me caso queira algo, beleza?” “Conte comigo para qualquer coisa que precisar.” Uma pessoa que acabou de perder alguém muito querido não sabe exatamente o que precisa. Por isso, afirme seu desejo de ajudar: “amanhã eu levarei um café para você.” “Estou a caminho do supermecado e vou comprar algo para você.” “Mais tarde vou tentar entender a burocracia do funeral.” “Aqui estão R$ 200,00 para você não se preocupar com jantares nestes próximos dias.”
  4. NÃO responda à pergunta “por quê?” Pessoas procuram essa resposta por diferentes razões. Por exemplo, algumas querem culpar algo ou alguém. Fato é que mesmo que a resposta exista, ela é insuficiente para trazer todo o consolo que a pessoa quer e precisa. Tome cuidado em fazer referências bíblicas neste momento. Por exemplo, apresentar a soberania de Deus pode trazer diferentes respostas, algumas positivas e outras negativas – e ainda não ajudar como desejado.
  5. NÃO presuma a maturidade da pessoa neste assunto. Não acredite que o fato da pessoa ser um conselheiro, psicólogo ou pastor lhe dará as ferramentas necessárias para passar pelo luto com mais facilidade.
  6. NÃO espiritualize a questão. O sofrimento humano é holístico e nos aflige material e imaterialmente. Sofrer com a morte de alguém atinge nossa alma e também o nosso corpo. Ainda que orações sejam fundamentais, elas devem ser acompanhadas de uma atitude de compaixão, cujo intuito não é simplesmente entregar uma resposta, mas acompanhar a pessoa enquanto ela busca, considera e aceita as respostas. Interessante que a compaixão de Jesus, além de sua oração enquanto pregado na cruz (Lc 23.34), foi expressa em atitudes concretas, como alimentar (Mt 15.32), curar (Mt 14.14) e ensinar (Mc 6.34).
  7. NÃO diga “você deve.” Talvez você saiba que a pessoa precisa ouvir ou fazer algo. Ao invés de dizer como uma ordem, diga a ela como uma boa opção ou um excelente convite.

A lista acima não é exaustiva. Estas são apenas algumas sugestões sobre um assunto extremamente delicado, com o qual muitas pessoas não sabem lidar – obviamente.

Espero que este post também encoraje alguns leitores a deixarem comentários com dicas e sugestões sobre o que NÃO dizer para alguém em luto.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s